27 de maio de 2015

Eu estava perdido e descobri...

"Hoje voltei 11 anos atrás na minha primeira viagem a Moçambique como voluntária na Escolinha do André. Neste dia de África, a Irmã Beta marcou a ocasião (das professoras se irem embora porque era dia de África) com um torneio de desporto. Quando chegamos já tinham corrido por todo o lado, mas a alegria ainda pairava no ar. Fui rodeada de crianças, abraços, mãos que me queriam tocar, dedos que queriam os meus, festinhas nos meus braços e na minha roupa. As boas vindas foram calorosas e as crianças juntaram-se a festa. Para mim, já tinha valido a pena.
Mas a surpresa não se fez esperar. Antigos alunos foram avisados que vinha a Mana Sara e pela primeira vez desde há muito, apareceram. A Edia que vende no mercado para sustentar os 3 filhos que a fizeram parar todos os estudos - e o marido? Já mandou embora... A Irene, que tem um filho ainda no colo e outra que já estuda na Escolinha. O Salvador, que era perito da cestaria e passou 2 anos nas obras em chokwe.
E conversamos sobre as voltas que a vida lhes deu, as escolhas que fizeram e que os afastaram da escolinha e da educação e o que queriam hoje da vida. Observei uma nostalgia que não pensei existir. Anos depois de se afastarem, eram muitos os que sabiam agora ter sido a escolha errada. E pediram ajuda. Falamos sobre o que podia ser diferente, como podiam mudar a vida deles de novo, como podiam as Irmãs e a Um Pequeno Gesto ajudar. A conversa demorou horas e fez-se em partes. Falamos sobre como podiam dar de volta na escola, estar com os mas pequenos, aprender um ofício. Mostraram interesse, depois entusiasmo, e já para o fim muita vontade.
No meio de um momento especial, lembrei me da musica que escrevi para eles há 11 anos atrás. Ao entoar as primeiras palavras,  os mais velhos (os arrependidos e os ainda rebeldes) juntaram se numa roda num momento de explosão de alegria lembrando talvez os tempos em que a vida lhes eram mais fáceis juntaram se a mim e cantaram mais alto 'Eu estava perdido e descobri, que havia um cantinho para mim - Escolinha do André. Aqui tenho um amigo, para me ajudar, já não ando mais nas ruas, agora vou estudar'


A musica foi sentida para todos, para mim e para eles, e não consigo esquecer os olhos de tristeza profunda do Salvador que quer vir ajudar na cestaria. Será que vai voltar ao seu cantinho na Escolinha do André?"

Testemunho pela Presidente e Fundadora da UPG Sara Vicente, de visita a Moçambique, Maio 2015

1 comentário:

Helena Atalaia disse...

É tão bom haver uma mão amiga para ajudar. E nunca é tarde para recomeçar ;) Verdadeiramente enternecedor. Obrigada pela partilha!